Índice

Cartucho SRAM 32kB

A idéia que disponibilizo aqui consiste em aproveitar a placa de circuito impresso comuns em cartuchos MSX nacionais, substituindo o EPROM do cartucho, por uma memória SRAM de 32kB com alimentação de espera a bateria. Com algumas alterações na placa de circuito impresso e pendurando um circuito auxiliar.

O fato é que descobri existir demanda (261 visitas em 10 dias) para este tipo de circuito quando decidi vender o meu protótipo agora, em dezembro de 2009, sendo que fiz o meu protótipo aproximadamente em 2002~2003. Ou seja pelo que lembro não é difícil, senão eu mesmo não o teria feito, mas requer paciência e uma verificação constante.

Na época até vi um circuito do tipo no site do Grande Luciano Sturaro, mas o cara é macho pacas e fez, se bem me lembro, através de wirewrap. Meu objetivo, bem mais modesto, consiste em aproveitar a grande similaridades entre os pinos de uma memória SRAM 62256 com as de um EPROM 27256 muito comuns em cartuchos de MSX nacionais, e substituindo a 27256 do cartucho por uma 62256, com algumas adaptações.

    62256 32kx8 SRAM                   27256  32kx8 EPROM
                                        
    +-----+--+-----+                   +-----+--+-----+
A14 |1    +--+   28| VCC           VPP |1    +--+   28| VCC             
A12 |2           27| /WE           A12 |2           27| A14             
 A7 |3           26| A13            A7 |3           26| A13             
 A6 |4           25| A8             A6 |4           25| A8              
 A5 |5           24| A9             A5 |5           24| A9              
 A4 |6           23| A11            A4 |6           23| A11             
 A3 |7   62256   22| /OE            A3 |7   27256   22| /OE             
 A2 |8           21| A10            A2 |8           21| A10             
 A1 |9           20| /CE            A1 |9           20| /CE             
 A0 |10          19| D7             A0 |10          19| D7              
 D0 |11          18| D6             D0 |11          18| D6              
 D1 |12          17| D5             D1 |12          17| D5              
 D2 |13          16| D4             D2 |13          16| D4              
GND |14          15| D3            GND |14          15| D3              
    +--------------+                   +--------------+

Fonte: http://www.qsl.net/yo5ofh/

Repare que estão assinalados em vermelho os pinos com funções diferentes.

A vantagem é poder gravar a memória do cartucho sem a necessidade de equipamento adicional. A utilidade disso é poder fuçar no conteúdo dos ROMs existentes ou mesmo fazer o conteúdo do seu próprio cartucho, lembrando que os programas do cartucho podem ser até em BASIC.

Algumas fotos do protótipo:

Diferença das pinagens de uma memória EPROM 27256 e a SRAM 62256:

Foi necessário utilizar um circuito de controle do sinal CS (Chip-Select) e da alimentação da SRAM, utilizei um publicado na Revista Saber Eletrônica nº 164 Este circuitinho é um achado pois o utilizei também no cartucho SNES 'Zelda Link to the Past' "alternativo" há uns 13 anos e está funcionando até hoje. Descrição do circuito <<aqui>>.

Para gravação dos dados na SRAM utilizava o excelente Mega-Assembler, aliás é um dos métodos mais simples de gravação de dados no cartucho, para tanto é necessário saber utilizar os comandos de cópia de blocos de memória e habilitação de slots e páginas do mesmo, não me perguntem como, pois sei que existem estes comandos, mas não me lembroquais são. E é claro deve-se saber em qual slot/página a SRAM está.

No protótipo, possivelmente pela existência de dados espúrios no barramento na hora em que o micro é ligado, havia a corrupção de dados da memória, motivo pelo qual adicionei um botão cuja a função é permitir a escrita somente quando este estiver pressionado. E dependendo da configuração de SLOTS do MSX utilizado, esta solução impede que o sistema encare a SRAM como RAM comum do sistema.

Como para escrever na memória é necessário o uso de outros programas, às vezes precisamos que o sistema ignore o cartucho SRAM para acessarmos o BASIC, o DOS, o MegaAssembler, etc. , para tanto adicionei outro botão, cuja a função é justamente esconder o conteúdo do cartucho no boot. Ou seja para o sistema não enxergar o cartucho, e não executá-lo, deve-se manter esse segundo botão pressionado durante o boot.

Para alimentar o circuito precisamos de 3V, utilizei um suporte de 2 pilhas AA pendurado no cartucho, funciona mas ficou feio pra caramba. Será que cabe um suporte de bateria CR2032 no espaço disponível?





BORDER=0 Fotos do cartucho

Tirei as fotos abaixo antes de vender o mesmo no Mercado-Livre...

O jeitão...


As entranhas




O circuito de controle da tensão de alimentação e  sinal CS.


O botão azul foi retirado de um 'mouse' sucata. Colei para segurá-lo uma aleta de plástico amarelo.


Repare que o fio laranja à direita foi soldado numa trilha colada. É a trilha 13 do sinal de escrita WR que não teria utilidade originalmente num cartucho com ROM.
A trilha foi colada com Super-Bonder.


Índice
rymaeda@yahoo.com
http://www.geocities.com/rymaeda